Rueda: "O time fez uma grande partida, mas não conseguimos o resultado que queremos"

Por Site Oficial em

Resultado que mantém a decisão em aberto. A derrota por um gol de diferença deixará a grande final da Conmebol Sul-Americana em aberto para a segunda partida no Maracanã. Ao término do confronto, o técnico Reinaldo Rueda concedeu entrevista coletiva no Estádio Libertadores de América. Durante a conversa com os jornalistas, o comandante rubro-negro comentou sobre o desgaste da equipe nessa sequência de jogos 

Sócio-torcedor tem mais Flamengo em vídeos da FlaTV Nação Rubro-Negra, com entrevistas exclusivas dos jogadores! Clique e sinta o orgulho de ser sócio-torcedor.

"É um fator a considerar. Todos sabem que o Independiente não jogou no fim de semana anterior, e nós fizemos um esforço dobrado quando fomos até a Bahia. Sem dúvidas, a equipe está muito bem fisicamente, mas a intensidade e o ritmo que tem o Independiente exige que estejamos a 500%. Precisávamos nos recuperar nos últimos 15 minutos de jogo. Diego estava com um cartão amaralo, então precisávamos melhorar com a entrada de Vinicius", analisou o treinador.

A segunda partida será disputada na próxima quarta-feira (13) diante de um Maracanã lotado. Com mais tempo para descanso e preparação para a partida que decidirá o título, uma performance mais eficaz na frente do gol e com melhor capacidade física, a expectativa é de uma performance ainda mais intensa, segundo o treinador.

"Temos alguns dias para nos recuperarmos. O time fez uma grande partida, mas não conseguimos o resultado que queremos. Nos faltou uma melhor eficácia para concluirmos as duas ou três situações que tivemos. Foi um jogo muito intenso. Uma partida que nos exigiu muito. Eles foram mais precisos do que nós, como mostra o segundo gol deles", comentou.

 

A longa maratona de partidas também foi analisada pelo técnico. A diferença de quase 30 jogos em relação ao adversário da decisão teve impacto visível na primeira partida, principalmente na etapa inicial. No entanto, o aspecto positivo fica por conta das boas condições físicas proporcionadas pelo trabalho desempenhado pelos profissionais do Centro de Excelência em Performance do Flamengo (CEP FLA).

"Foram 84 jogos no ano. O plantel suportou bem, sem grandes lesões. Com a distância, as viagens e os torneios que o Flamengo disputou, creio que o elenco esteja em uma boa condição física. Foi muito intenso, exigiu uma grande dinâmica. O único que vinha de lesão era o Éverton, e por isso não começou a partida. É um jogador que precisa melhorar progressivamente para que não haja nenhuma reincidência. Obviamente que os que jogaram na Bahia têm um desgaste maior", disse.